Notícias

STF CONFIRMA COMPROMISSO DE NÃO ENCAMINHAR PROPOSTAS PARA REDUÇÃO SALARIAL DOS SERVIDORES

Quarta-feira, 25 de março de 2020

O Diretor-Geral do STF, Eduardo Toledo, confirmou, na manhã desta quarta-feira (25), a informação divulgada de que o presidente da Câmara dos Deputados, deputado Rodrigo Maia, se comprometeu perante o Presidente do Supremo Tribunal, ministro Dias Toffoli, a não dar andamento às propostas de redução de salários dos servidores públicos em função da pandemia do coronavírus.
 
Nesta terça-feira (24), o presidente da Ajufe, Fernando Mendes, e o coordenador da Frentas, Manoel Murrieta, já haviam antecipado a informação sobre essa tratativa.
 
A confirmação com o Diretor Geral se deu através do Sindjus-DF que promoveu o contato para confirmar e tranquilizar os servidores. Por meio de nota, o sindicato informou que “desde a primeira investida e boatos na imprensa de redução salarial se posicionou contra mais essa tentativa de onerar os servidores públicos, que não podem ser responsabilizados pelos efeitos econômicos da pandemia de coronavírus. Estamos atentos para que ninguém se aproveite dessa situação, que é muito grave, para dar prosseguimento à política de desmonte dos serviços públicos. Temos uma ampla campanha nas ruas em defesa dos servidores e do serviço público e vamos continuar fazendo todas as articulações e todo o enfrentamento necessário para garantir que os servidores em geral e, em especial, do Poder Judiciário e do MPU não sejam lesados”, explicou Costa Neto.
 
Propostas
 
Nesta terça-feira (24/03), foram apresentadas no Congresso Nacional duas propostas sobre a redução de salários de servidores. A proposta de PEC do deputado Ricardo Izar (PP/SP) propõe 20% de cortes de jornada e salário dos servidores públicos. Já o PL do deputado Carlos Sampaio (PSDB/SP) determina cortes de 10% a 50% dos salários de servidores, dependendo do valor dos vencimentos.
 
O presidente da Câmara também havia sugerido que os Três Poderes estudassem uma redução de 20% dos salários dos servidores, segundo ele, um gesto simbólico para mostrar que estão unidos no combate à pandemia.
 
“No entanto, com a informação do compromisso firmado entre os chefes do Judiciário e da Câmara dos Deputados, pode ser que essa ameaça seja contida temporariamente”, afirma o Sindjus.
 
A AGEPOLJUS está atenta a todas as ameaças que cercam os servidores do Judiciário Federal, sendo que o presidente Roniel Andrade trabalha, em conjunto com o Sindjus e demais entidades representativas, em prol dos Agentes de Segurança e toda a categoria para combater a retirada de direitos.
 
Da assessoria de imprensa, Caroline P. Colombo com o Sidjus/DF







Enviar por email